sexta-feira, 20 de março de 2015

Droga com veneno de rato e heroína se alastra na África do Sul

Centros particulares de reabilitação para usuários de drogas se proliferam pelo país; altamente viciante, efeitos do nyaope são devastadores

quinta-feira, 19 de março de 2015

Campeão da F-1, Villeneuve aprova prova de Goiânia da Stock Car

O campeão mundial de F-1 em 1997 e vencedor da Indy 500 de 1995 andou pela primeira vez hoje no Autódromo Ayrton Senna, em Goiânia.

- Gostei do traçado, é bastante seletivo. Fizemos apenas um treino de checagem, mas já tivemos um rápido entrosamento, tanto com a equipe Shell Racing, quanto com o Ricardo (Zonta). Vai ser uma corrida especial - diz Villeneuve, que fez em 2011 uma participação na Corrida do Milhão.
Campeão da F-1, Villeneuve aprova prova de Goiânia da Stock Car


Como Globo, ESPN e HBO enfrentam o Netflix

A tevê morreu. Pelo menos da forma como conhecemos. 

Pesquisa da Nielsen, que mede a audiência televisiva nos EUA, mostra que o uso tradicional da televisão caiu 10,6% entre pessoas de 18 a 34 anos de setembro a janeiro. 

E o maior expoente dessa nova fase da televisão chama-se Netflix, que popularizou o conceito de vídeo sob demanda.

Confira os bastidores da reportagem com o repórter João Varella
Como Globo, ESPN e HBO enfrentam o Netflix - TV DINHEIRO - ISTOÉ DINHEIRO


terça-feira, 17 de março de 2015

Rio de Janeiro: Garis entram no quinto dia de greve com passeata e denúncia sobre contratações

Nesta segunda (16) o Jornal do Brasil flagrou um grupo de homens recolhendo lixo para a Comlurb no bairro do Estácio. Segundo os agentes, eles haviam sido convocados sem contrato e para receber uma diária de R$ 150 ou R$ 30 por período de trabalho. O grupo estava sem uniforme da companhia, todos vestiam calça jeans, tênis, camiseta e luvas.  

"Eu sou um cidadão que fui chamado para recolher lixo. Eu aceitei, estou recebendo. Não sou de nenhuma empresa", disse um dos "garis" enquanto seguia um caminhão da Comlurb. Os "novos garis", como eles mesmos se apelidaram, contaram que o convite partiu de um homem que caminhava à frente do caminhão, mas não souberam dizer se ele era funcionário da empresa.

segunda-feira, 16 de março de 2015

Oposição queria ouvi-la e devem estar arrependidos. Dilma capitalizou Protestos e disse que eles mostram que 'valeu a pena' lutar por democracia

Um dia após os protestos contra o governo em várias cidades do país, a presidente Dilma Rousseff se emocionou ao falar do assunto durante cerimônia de sanção do novo texto do Código de Processo Civil, no Palácio do Planalto, em Brasília.

Com a voz embargada, a presidente, presa política durante a ditadura militar, disse que "valeu a pena" lutar por liberdade e democracia.

"Ontem, quando eu vi centenas e milhares de cidadãos se manifestando, não pude deixar de pensar que valeu a pena lutar pela liberdade, valeu a pena lutar pela democracia. Este país está mais forte que nunca", declarou.

Segundo a presidente, o fortalecimento das instituições democráticas no Brasil torna o país “cada vez mais impermeável ao golpismo e ao retrocesso”.

 “Um país amparado na separação, independência e harmonia dos poderes, na democracia representativa, na livre manifestação popular nas ruas e nas unas se torna cada vez mais impermeável ao preconceito, à intolerância, à violência, ao golpismo e ao retrocesso”, afirmou.

Segundo a presidente, "nas democracias, nós respeitamos as urnas, respeitamos as ruas”, afirmou . Ela reiterou que governo sempre irá “dialogar” com as manifestações das ruas e, como dois ministros haviam antecipado no domingo, anunciou que pretende enviar ao Congresso medidas de combate à corrupção.

“É assim a nação que todos nós queremos fortalecer. (...) Eu tenho certeza de que o que nós queremos é um lugar em que todos possam exercer os seus direitos pacificamente sem ameaça às liberdades civis e políticas”, acrescentou.
G1 - Protestos mostram que 'valeu a pena' lutar por democracia, afirma Dilma - notícias em Política

domingo, 15 de março de 2015

Veja as gatas das redes sociais nos protestos do dia 15


Manifestações contra Dilma, corrupção e Toffoli reúnem 1,5 milhão em todo o país

Pelo menos 1,5 milhão de brasileiros foram as ruas e protestaram neste domingo de forma pacífica em todo o país contra a presidente Dilma Rousseff, que enfrenta um complexo coquetel de tensão social, polícia e econômica derivado de grandes escândalos de corrupção como a Petrobras.

O maior protesto foi registrado em São Paulo, que reuniu um milhão de pessoas, segundo a polícia, vestidas em sua maioria com as cores da bandeira brasileira.

As manifestações também congregaram outro meio milhão de pessoas em 83 cidades, em protestos que igualaram em tamanho os realizados em junho de 2013, quando os brasileiros saíram espontaneamente às ruas para pedir o fim da corrupção e mais gastos com transportes, saúde e educação, no lugar de investimento do dinheiro público na Copa do Mundo.

Grande parte dos manifestantes exigiu, neste domingo, o "impeachment" da presidente, que começou seu mandato há menos de três meses depois de ser reeleita em outubro por uma pequena margem de 3%.

Muitos também pedem a intervenção militar para acabar com mais de 12 anos de governo de esquerda do PT, um paradoxo em um dia em que se comemora, justamente, os 30 anos da volta da democracia ao Brasil após a longa ditadura iniciada em 1964.

Manifestações contra Dilma reúnem 1,5 milhão em todo o país - Terra Brasil


sábado, 7 de março de 2015

Inconformado por Citação, Cunha diz que governo 'quer sócio na lama' e só entrou na lista para justificar presença de Tucano

O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) disse neste sábado (7) à Folha que o governo federal quer "sócio na lama", ao comentar o seu nome e de oposicionistas na lista de investigados da Procuradoria-Geral da República no caso Lava Jato.

"O governo quer sócio na lama. Eu só entrei para poderem colocar Anastasia", ataca o deputado.

Na lista divulgada nesta sexta-feira, o nome do senador e ex-governador de Minas Gerais Antonio Anastasia foi incluído. Ele é braço direito de Aécio Neves, líder da oposição e adversário de Dilma em 2014. Cunha aparece citado em mesmo depoimento de Anastasia.

Para o deputado, a peça da procuradoria é uma "piada" e foi uma "alopragem" de integrantes do governo, que , segundo acusa, teriam interferido junto a Rodrigo Janot para inclui-lo e a oposição na lista.
Citado na lista de Janot, Cunha diz que governo 'quer sócio na lama' - 07/03/2015 - Poder - Folha de S.Paulo

Seguidores

Pesquisar este blog